fevereiro 2019 - Instituto Água Viva

6

Por que chove tão pouco no Sertão?

Muito se fala sobre a seca no Nordeste brasileiro. Mas, você sabe por que chove tão pouco no Sertão? O próprio clima da região, que é o semi-árido, tem a falta de chuvas como característica. O Instituto Água Viva listou alguns dos fatores. Continue lendo e saiba mais!

Tempo seco e pouca umidade

Como já falamos, as chuvas escassas são uma característica do clima semi-árido, que predomina no Nordeste. Além disso, a temperatura do mar – que é mais baixa em relação a outras regiões – colabora para a seca. Isso acontece porque, com baixa evaporação oceânica, há menos umidade presente no ar.

Relevo nordestino

A influência do relevo também é uma das causas da escassez de chuvas. O Planalto da Borborema, também chamado de Serra da Borborema, apresenta uma extensão de cerca de 400 km, abrangendo os estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte.

A altitude média do Planalto da Borborema é de 500 metros, no entanto, há picos que chegam até 1260 metros. Esse relevo impede a circulação de correntes de ar úmidas do oceano para o interior, ocasionando a falta de chuvas no Sertão.

Falta de rios

A parte mais afetada pela falta de chuvas é o chamado Polígono das Secas, uma área de mais de 1 milhão de km², espalhados pelos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Nessa região, não há rios abundantes capazes de fornecer umidade para provocar chuvas locais. Além disso, a maioria desses rios são sazonais, ou seja, eles secam em determinadas épocas do ano.

Conheça o Instituto Água Viva!

O povo sertanejo passa por muitas dificuldades. Entre elas, a dificuldade de acesso à água. O Instituto Água Viva atua em quatro pilares no Sertão: saúde, educação, esportes e geração de renda. Conheça mais sobre os nossos projetos e se torne uma gota viva também!