Dia Mundial das Crianças Vítimas de agressão - Instituto Água Viva

O Brasil e o Sertão não têm muito que comemorar

Em 4 de junho de 1982 foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) o Dia Mundial das Crianças Vítimas de Agressão, não é uma data para se comemorar, e sim para refletirmos a respeito do assunto. Foi instituída em forma de protesto, luto e reflexão à essa violência que infelizmente, cresce todos os dias no mundo inteiro. A agressão física e psicológica deixa marcas para vida toda.

A violência contra a criança é um tema que desperta interesse de toda a sociedade, que busca formas de garantir cada vez mais proteção e cuidados. Combater à violência infantil não é nada fácil, e atualmente no Brasil 18 mil crianças são vítimas de agressão por dia, o que de acordo com os dados apresentados pela Sociedade Internacional de Prevenção ao Abuso e Negligência na Infância (Sipani), representam 12% das 55,6 milhões de crianças menores de 14 anos de idade.

Já no sertão do Nordeste, não há sequer dados copilados dessa terrível violência, pois em muitas comunidades afastadas não é possível acesso aos Conselhos Tutelares. Em outras situações, as próprias mães se calam diante das agressões e sofrem uma história que se repete a gerações. 

O papel social de resgate da cidadania pelo IAV

O Instituto Água Viva, em todos os seus valores, trabalha para preservar o direito da criança e do adolescente nas comunidades rurais e quilombolas onde temos atividades sociais. Já são mais de 3000 alunos matriculados em escolas de esporte, balé, informática, música e reforço escolar. Além de aprenderem uma atividade, as crianças são instruídas em valores como ética, cidadania, respeito e amor próprio e, principalmente a reconhecer que são uma pessoa plena de seus direitos fundamentais: a de brincar e aprender, de sonhar e conquistar!  

Porém, infelizmente, muitas dessas crianças já passaram por abusos físicos, sexuais, psicológicos e de negligências, isso acontece com frequência nas comunidades mais pobres do sertão. Precisamos preservar a infância de nossas crianças e resguardar a adolescência também, afinal são períodos de extrema importância para o desenvolvimento sócio afetivo e cognitivo delas, além do que, lutar por elas é garantir um futuro melhor e mais digno para o nosso mundo.

Sabemos que Zelar pelas crianças não é uma tarefa exclusiva dos pais, mas de todos: parentes, dos profissionais de saúde, dos líderes de modo geral, dos governantes, da comunidade, dos educadores, enfim, da sociedade como um todo, e o IAV está imbuído dessa missão no sertão do nordeste.

Fique atento, confira algumas dicas de como identificar se uma criança está sendo violentada:

Perturbações no sono: A criança tem dificuldade para dormir ou fica com o sono agitado, podendo haver pesadelos repetidamente.

Alimentação: O apetite pode aumentar ou diminuir.

Desempenho na escola: Dificuldades de concentração, recusa na participação de atividades, queda no desempenho e aproveitamento escolar.

Mudanças de comportamento bruscas e repentinas: Podem envolver desde o desinteresse por atividades que costumam lhe dar prazer, ou até mesmo apresentar medos que já não possuíam antes.

https://www.paulista.pe.gov.br/site/noticias/detalhes/6474

https://comeceodiafeliz.com.br/datas/dia-internacional-das-criancas-vitimas-de-agressao