agosto 2020 - Instituto Água Viva

6

UM TREINADOR LINHA DURA.

UM AMIGO E CONSELHEIRO.

Descoberto aos 9 anos de idade jogando bola na rua, no interior de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, Adilson da Fonseca Mendonça, conhecido com Mendonça, lateral direito, é hoje treinador de futebol do Instituto Água Viva- IAV, em Aguada Nova, distrito de Lapão-BA.

Mendonça se tornou jogador profissional aos 18 anos de idade pelo Bangu-RJ, e em oito anos passou por nove clubes esportivos, como: Olímpico de Bom Jesus-RJ, Rio Branco-ES e encerou a carreira em 1994 no Esportiva de Guaratinguetá-SP. Fundador do CTM – Centro de Treinamento Mendonça, na Praia da Costa- Vila Velha-ES, onde em 23 anos já treinou mais de 4.000 mil crianças e adolescentes.

Em Janeiro de 2018, Mendonça foi convidado para visitar uma base social do Sertão e seu coração foi fisgado por crianças sem muitas expectativas e sonhos, e próximas demais dos perigos das drogas, porém, ávidas por uma oportunidade. “ Por três meses eu fiz uma ‘caminha entre amigos’, um projeto onde visitávamos as famílias. A região era pesada, tinha uma praça conhecida como praça do criminoso e nós a transformamos em praça da família, e assim nasceu o desejo de me dedicar àquelas crianças,” lembra o início.

Atualmente Mendonça treina 289 alunos, sendo 60 meninas – boas de bola, diga-se de passagem, entre 06 a 17 anos, em seis povoados de Lapão-BA, que também ganham um amigo e um conselheiro. Um trabalho bem diferente daquele acostumado em 12 anos de escolinha de praia… No Sertão o jogo é duro, realizado debaixo de sol forte que chega a 40C, em campo de pedregoso, algumas poucas vezes em quadra cedida por uma escola, mas não é o padrão das comunidades rurais e quilombolas.

BOM DE BOLA – BOM DE NOTA.

Todos os alunos precisam estar matriculados na escola secular e são acompanhados nos estudos e nas notas. Quem não passa, não permanece. Com essa ‘dura regra’ muitos se tornaram bons alunos nas escolas, e hoje pelo menos 03 já estão decididos em fazer faculdade de educação física. “Estou preparando a nova geração para me substituir”, comora Mendonça.

“Os perigos das drogas no sertão são grandes. Muitas crianças ficam grávidas ainda na adolescência. O ócio é terrível e o esporte vem preencher uma lacuna como poucos projetos conseguem. Além de ensinar prática esportiva, ensinamos fundamentos para a vida, ética, cidadania, respeito, amor ao próximo e a Deus. Eu sei bem o que aquelas crianças passam, aos 14 anos morei debaixo da arquibancada de um time, no interior do Rio de Janeiro, até conseguir uma oportunidade de entrar em na categoria de base, e é essa a experiência que me leva a ter ainda mais paixão pelo que faço hoje.” Conta com lágrimas.

Para quem conhece Mendonça não é difícil de ver essa cena, não conta uma história, sem lágrimas nos olhos e voz embargada. É apesar de ser um treinador linha dura, é amigo e conselheiro. Ama o que faz e ama o próximo. Sua família o acompanha no Sertão, e quando perguntado quando volta, ele reponde: Se depender de mim? NUNCA MAIS!

16

ÁGUA POTÁVEL A PARTIR DO SOL

ÁGUA POTÁVEL A PARTIR DO SOL

Moradores de Jacarezinho, comunidade distante quase 3 horas de Irecê-Ba, agora terão água limpa para beber, livre de contaminação, conforme os parâmetros do Ministério da Saúde. A ação foi possível graças a instalação da biotecnologia Aqualuz, um sistema de estrutura simples que purifica a água através dos raios solares.

Vinte e nove moradores da pequena comunidade receberam a visita dos técnicos da empresa e tiveram treinamento sobre como instalar, limpar e utilizar os reservatórios que têm capacidade para filtrar de 10 litros a 20 litros de água por dia, que serve uma família de até 05 pessoas.

“E não tem mágica, a explicação é simples: A mesma radiação ultravioleta que em nós causa câncer, também é letal para vírus e bactérias. No processo, a água é colocada em um reservatório que fica exposto ao sol, e é acoplado a ele um indicador térmico que muda de cor – de preto para vermelho, quando a água está pronta para o consumo. Cada ciclo dura de 2h a 4h dependendo da radiação solar do dia, e água está pronta para consumo.” Explica Rafael Correia, Engenheiro do IAV.

A água é um direito de todos, mas nem todos ainda têm água potável. Os recursos vieram do outro lado do oceano. Um grupo de americanos da ONG Giving Hope visitou a região em agosto de 2019 e se comoveram com a situação de extrema pobreza dos moradores de Jacarezinho que, além da grande distância da cidade, do calor e da falta de oportunidades, ainda não tinham água potável para o consumo.

Água limpa

Quem sabe o que é ter sede, sabe bem o valor de um copo de água sem contaminantes, sem gosto de sal, limpinha-limpinha, pronta para beber. Pela primeira vez dona Dona Izabel, 78 anos, moradora de Jacarezinho, explica como era a vida: “Primeiro pegávamos água do rio, depois passamos a beber a água do posso que era muito salobra, mas este sistema não funciona mais, depois foram instaladas as cisternas que pegam água do céu (água da chuva). Já vi muitas pessoas adoecerem e irem para o hospital por causa dessa água. Agora com este projeto melhora mais, estamos felizes que dessa licença de Deus de mandar vocês com essa ajuda para nós”.

O Aqualuz é um dispositivo para desinfecção de água de cisterna de captação de água de chuva de zonas rurais através da radiação solar e tem a previsão de durabilidade de cerca de 20 anos apenas com limpeza de água e sabão, sem precisar de manutenção externa ou energia elétrica, e é possível garantir independência de acesso à água potável a quem mais precisa. O projeto de biotecnologia foi desenvolvido pela pesquisadora baiana Anna Luíza Bezerra, 21 anos, e foi a primeira brasileira a ganhar prêmio em Meio ambiente, pela ONU. Até o momento mais de 300 unidades já foram instaladas nos estados do nordestes brasileiro.

8

FAZER O BEM FAZ BEM

FAZER O BEM FAZ BEM

Instituto recebe 400 mil de doação

O Instituto Água Viva-IAV recebeu uma doação de 400 mil reais para abertura de poços no Sertão da Bahia. Com este valor será possível abrir 20 poços que irão beneficiar 1.000 pessoas na plantação de morangos e hortaliças na região de Boninal e Piatã, na Bahia, além de servir ao uso familiar diário. O projeto faz parte de uma parceira com uma das maiores empresas do Brasil na plantação de morango, e nossa meta é envolver 5 mil pessoas no projeto social de geração de renda local.

O Instituto foi escolhido pelo programa Fazer o Bem Faz Bem, do Grupo JBS que ao todo doou R$ 400 milhões para o enfrentamento à COVID 19 no Brasil, sendo R$ 20 milhões destinados a ações sociais de mais de 80 instituições não governamentais, beneficiando 63 milhões de pessoas no país em mais de 200 cidades.

O recurso foi repassado diretamente para a empresa escolhida para a perfuração dos poços, e os trabalhos começam na próxima semana. Assim, o IAV terá a missão de acompanhar os trabalhos e gerar relatórios de conclusão.

A expectativa é que na próxima safra, com o plantio começando em março/21, os frutos já possam ser colhidos. Cada família cadastrada no programa poderá ganhar até R$ 2.500,00 por mês, e essa é uma grande conquista para o sertanejo.

Além do apoio à produção, o IAV acompanha de perto a processo comercial, viabilizando o ciclo completo e garantindo a sustentabilidade do projeto.

O Instituto optou por promover o desenvolvimento local com o projeto de geração de renda, a distribuir o recurso inicial em cestas básicas, o que geraria apenas 01 mês de alimento. O projeto de plantação de morango vai gerar trabalho e renda por muitos anos, e transformar a realidade de cada família para sempre.

Como fruto desta parceria já realizamos a perfuração de poço artesiano na comunidade rural de Bela Sombra, em Piatã-BA. Mais uma vitória para os sertanejos. Região que apesar de ser conhecida por sua água salobra, o poço teve vazão de 14.000 litros/hora de água doce, que servirá a comunidade para consumo e plantações. Este é o primeiro de 20 poços artesianos que serão perfurados na região, beneficiando centenas de famílias sertanejas. O Instituto Água Viva trabalha com parcerias para levar mais oportunidades ao sertanejo. Seja você também um apoiador dessa causa!

Obrigado a todos que confiaram no Instituto Água Viva para essa grande parceria.

Nossa missão é gerar oportunidades que transformam vidas no sertão!

10

OPORTUNIDADES QUE TRANSFORMAM


05 anos e muito a comemorar!

A Fábrica Têxtil do Instituto Água Viva-IAV, no município de Lapão-BA, povoado de Aguada Nova, é hoje a segunda maior empregadora de carteira assinada da região e gera uma renda mensal para a cidade de quase 60 mil reais/mês. Atualmente, 69 pessoas estão diretamente envolvidas. Em outubro o projeto se prepara para um novo patamar – uma nova Fábrica será inaugura no complexo Social de Lapão. Serão 1.000m2 onde será possível duplicar a produção. O objetivo do IAV é levar cada vez mais oportunidades ao sertanejo e promover o desenvolvimento econômico e social do Sertão.

Colaborardes satisfeito!

E para celebrar os 05 anos do IAV, foi realizada uma pesquisa por amostragem entre os funcionários Fábrica Têxtil para medir, entre outras coisas, o índice de satisfação, crescimento pessoal e as perspectivas quanto ao futuro. A responsável pelo relatório foi a Assistente Social, Mônica Pereira Rosa.(*)

Das pessoas empregadas, 74% é o primeiro emprego e para os demais que já tiveram outras atividades, 70% é o primeiro emprego com direitos trabalhistas. Outro dado que consolida o sucesso do projeto é o fato de que 100% dos colaboradores disseram estar satisfeitos com a sua função.

Dos entrevistados, 52% disseram que o maior crescimento que tiveram foi pessoal, seguido do crescimento nas relações interpessoais com 42%, e das mudanças mais significativas os funcionários citaram o aumento na autoestima, no amadurecimento pessoal, nas novas amizades e nos valores cristãos, além a diminuição da timidez.

E quanto ao Futuro? 68% dos colaboradores têm perspectivas em se manter como costureiras, cursar uma faculdade ou ser empreendedor. Essa característica é muito importante dentro do papel social do IAV que é estabelecer maior empoderamento do sertanejo nas suas conquistas pessoais. Esta percepção do futuro revela o quão significativo são os reflexos na vida das pessoas envolvidas no projeto social, que tem como objetivo ser agente promotor de alteração do cenário social, por meio de ações que resgate a dignidade humana.    

Progressos Financeiros

Outra situação favorável à instalação da Fábrica Têxtil, em Aguada Nova-BA, foi o progresso financeiro tanto dos funcionários quanto do comércio local. No pessoal 79% disseram que houve grandes avanços e 37% usaram seu dinheiro para reformas e construção da casa e 26,5% que conseguiram adquirir imóveis ou terrenos.

Com aumento de circulação de dinheiro na cidade, o comércio também foi beneficiado com incremento nas receitas. Vários estabelecimentos puderem fazer reformas, além da criação de diversos microempreendedores individuais nas áreas de salões de beleza e lanches à noite. Nesse tempo também foi aberta a primeira pizzaria da cidade.

Investir no sertão, é investir no desenvolvimento humano social e econômico local. O Instituto Água Viva se orgulha de ser uma ponte para grandes transformações!

Assistente Social Mônica Pereira Rosa – CRESS: 04243- BA

6

05 ANOS PARA FESTEJAR!

DO SONHO ÀS GRANDES CONQUISTAS

05 ANOS PARA FESTEJAR!

Em julho de 2015 era apenas uma sala, uma mesa e cadeira de plástico, 03 funcionários e muitos, muitos sonhos…. hoje já é uma realidade com conquistas importantes e números que deixam qualquer instituição brasileira orgulhosa.

Hoje somam 3.000 mil crianças atendidas em 06 atividades socais, como esporte, ballet, música, informática, 02 vans médico-dontológicas; 557 sertanejos empregados diretamente em 7 projetos de geração e renda, 6 milhões de litros/dia de água gerados por dia e mais de 10 mil pessoas atendidas por ano.

O Instituto é uma organização sem fins lucrativos, OSCIP e embora tenha sua base no Espírito Santo, com seu escritório localizado em Laranjeiras- Serra, se dedica em socorrer o semiárido do Sertão Nordestino, sobretudo os estados da Bahia, Pernambuco e Piauí, onde se observam os piores Índice de Desenvolvimento Humano-IDH. O IAV está presente em 26 cidades/municípios, abrangendo 445 comunidades rurais e quilombolas, com renda per capta abaixo de 1/4 salário mínimo.

O Sertão Nordestino não foi uma opção, mas uma escolha movida por compaixão e senso de urgência moral e social, impulsionado por grande amor ao nosso povo brasileiro que vive na extrema pobreza e vulnerabilidade social, afastado das oportunidades, onde quase nenhum projeto governamental está inserido.

O Instituto Água Viva escolheu transformar e impactar a geografia de uma região pouco apoiada no Brasil, e ser uma ponte para outras instituições na luta pela ressignificação e valoração do sertanejo, que apesar de ter ajudado a construir cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Minas Gerais, não teve as mesmas oportunidades.

Uma virada no sertão!

Ao fazermos um balanço de tudo que foi realizado, temos a certeza que tivemos sucesso na realização de nossa missão que é apoiar a família sertaneja a se desenvolver de forma integral, proporcionando o acesso à informação e descoberta de potenciais de desenvolvimento social, econômico e educacional, sempre balizados por nossos valores que são: respeito, transparência, igualdade, ética, justiça social e qualidade em nossas ações.

A região que atendemos está inserida no maior bolsão de pobreza do Brasil há muito o que fazer e os problemas recorrentes estão a nossa vista e precisam ser enfrentados como fome, sede, baixa qualidade de ensino, exploração sexual infantil, gravidez na adolescência, falta de oportunidade de emprego, ócio, alcoolismo e baixa autoestima. Esses são alguns problemas sociais da região.

Parcerias Importante gerando avanços no Sertão 

Atuando entre os 20% mais miseráveis (IDH) do Brasil

Nosso trabalho gerou vitórias significativas, com destaque especial para a inauguração do complexo social de Lapão. O novo espaço foi a coroação de um ano espetacular.

O complexo social de Lapão, em uma área de 300 mil/m2, compreende a casa da família que atende crianças em estado de vulnerabilidade social; salas multiuso onde oferecemos para as crianças, adolescentes e jovens aulas de música, informática, reforço escolar e ballet; refeitório com capacidade de oferecer mais de 1.000 refeições dia e também oferecer treinamento de alimentação saudável e cozinha sertaneja; atividades para os idosos e vestiário. O complexo tem capacidade de atender mais de 1.000 pessoas diariamente e foi construído com parcerias de empresas nacionais e instituto internacional.

Também tivemos ótimo crescimento em todos pilares que atuamos. No Pilar de Esportes o número de alunos aumentou em mais de 20%. No Pilar de Educação Complementar crescemos 130% e no Pilar de Geração de Renda crescemos incríveis 201%, onde mais 224 pessoas tiveram a oportunidade de aumentar a renda familiar e no Pilar de Saúde não foi diferente, beneficiamos 10.688 pessoas.

Para os próximos anos estamos confiantes na realização de grandes projetos como o cultivo de morangos, finalização da adutora em Casa Nova-BA para favorecer 120 famílias produtoras de farinha, e aumento de 30% no número de atendimentos em nossos 04 pilares, além de iniciarmos nossas atividades em mais 04 municípios do sertão: Boninal, Piatã e Quinjingue na Bahia e Paulistana no Piauí. Aumentando para 26 o número de cidades atendidas pelo Instituto Água Viva.

“Tudo isso só é possível com parcerias sólidas de empresas e empresários que entendem a urgência do socorro a essa parcela da população brasileira, no recorte social onde estão os 20% mais miseráveis do Brasil.

O Instituto Água Viva conseguiu avançar, mas a verdade que há muito mais para fazer. Acreditamos que agora é hora de um impulsionamento social gigantesco no Sertão. Basta acreditar e trabalhar. E nós acreditamos no povo Sertanejo do Brasil!” Valida Carlinston de Lima Pereira, presidente do IAV.   

Que venham mais anos de trabalho!!!

Estamos ansiosos para realizar o bem para o povo nordestino

que respeitamos e queremos tão bem.

NOSSA MISSÃO: Apoiar a família sertaneja a se desenvolver de forma integral, proporcionando o acesso à informação e descoberta de potenciais de desenvolvimento social, econômico e educacional.