ÁGUA POTÁVEL A PARTIR DO SOL - Instituto Água Viva

16

ÁGUA POTÁVEL A PARTIR DO SOL

Moradores de Jacarezinho, comunidade distante quase 3 horas de Irecê-Ba, agora terão água limpa para beber, livre de contaminação, conforme os parâmetros do Ministério da Saúde. A ação foi possível graças a instalação da biotecnologia Aqualuz, um sistema de estrutura simples que purifica a água através dos raios solares.

Vinte e nove moradores da pequena comunidade receberam a visita dos técnicos da empresa e tiveram treinamento sobre como instalar, limpar e utilizar os reservatórios que têm capacidade para filtrar de 10 litros a 20 litros de água por dia, que serve uma família de até 05 pessoas.

“E não tem mágica, a explicação é simples: A mesma radiação ultravioleta que em nós causa câncer, também é letal para vírus e bactérias. No processo, a água é colocada em um reservatório que fica exposto ao sol, e é acoplado a ele um indicador térmico que muda de cor – de preto para vermelho, quando a água está pronta para o consumo. Cada ciclo dura de 2h a 4h dependendo da radiação solar do dia, e água está pronta para consumo.” Explica Rafael Correia, Engenheiro do IAV.

A água é um direito de todos, mas nem todos ainda têm água potável. Os recursos vieram do outro lado do oceano. Um grupo de americanos da ONG Giving Hope visitou a região em agosto de 2019 e se comoveram com a situação de extrema pobreza dos moradores de Jacarezinho que, além da grande distância da cidade, do calor e da falta de oportunidades, ainda não tinham água potável para o consumo.

Água limpa

Quem sabe o que é ter sede, sabe bem o valor de um copo de água sem contaminantes, sem gosto de sal, limpinha-limpinha, pronta para beber. Pela primeira vez dona Dona Izabel, 78 anos, moradora de Jacarezinho, explica como era a vida: “Primeiro pegávamos água do rio, depois passamos a beber a água do posso que era muito salobra, mas este sistema não funciona mais, depois foram instaladas as cisternas que pegam água do céu (água da chuva). Já vi muitas pessoas adoecerem e irem para o hospital por causa dessa água. Agora com este projeto melhora mais, estamos felizes que dessa licença de Deus de mandar vocês com essa ajuda para nós”.

O Aqualuz é um dispositivo para desinfecção de água de cisterna de captação de água de chuva de zonas rurais através da radiação solar e tem a previsão de durabilidade de cerca de 20 anos apenas com limpeza de água e sabão, sem precisar de manutenção externa ou energia elétrica, e é possível garantir independência de acesso à água potável a quem mais precisa. O projeto de biotecnologia foi desenvolvido pela pesquisadora baiana Anna Luíza Bezerra, 21 anos, e foi a primeira brasileira a ganhar prêmio em Meio ambiente, pela ONU. Até o momento mais de 300 unidades já foram instaladas nos estados do nordestes brasileiro.