top of page

O IAV segue firme em seu objetivo de levar geração de renda para as mulheres sertanejas



Pensando nisso, por meio do projeto Mãos do Sertão, realizou feiras locais para a venda dos produtos feitos pelas artesãs. As feiras foram realizadas nas cidades de Central, Morro do Chapéu, Várzea Nova, Mirangaba, Miguel Calmon e Jacobina, onde foram comercializados cestos e sousplat de crochê e palha de licuri, bolsas e necessaires de crochê, bastidores bordados, ecobags de algodão cru com bordados, tapetes, entre outros produtos.

Ramon de Souza Sardinha, que junto com sua esposa Zenanda do Nascimento Santos Sardinha são os coordenadores do projeto Mãos do Sertão em Jacobina (BA), fala sobre os propósitos dessas ações.

“As feiras locais têm o propósito de expor o trabalho nas cidades onde os projetos estão implementados e também são um canal de vendas para levar retorno financeiro para as artesãs que participaram do projeto”, disse. Nesse primeiro momento as mulheres puderam apresentar e vender o que elas produziram e estão se preparando para a feira regional que vai acontecer em Feira de Santana, também na Bahia, no dia 22 de novembro. Representantes dos ateliês em todas as cidades vão participar. MÃOS DO SERTÃO Consolidado em 2022, o projeto Mãos do Sertão é uma parceria do IAV com o banco Pan e outras empresas, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, que montou seis ateliês, com possibilidade de beneficiar pelo menos 360 mulheres. O projeto é mais que aprender uma arte. O artesanato vai possibilitar que cada participante aprenda uma profissão, mudando a realidade da família e de sua comunidade. Atualmente, 180 mulheres atuam na produção e outras 40 frequentam os ateliês como forma de convivência.




bottom of page