O SERTÃO ESTÁ FLORESCENDO

Atualizado: Mai 10

Desde que a água chegou, o verde floresceu e agora o sertão está do jeito que o nordestino gosta.



Na região nordeste agora os sertanejos estão mais felizes, pois o sonho se tornou realidade, a água que antes era escassa, agora voltou e aos poucos o verde vai florescendo e a vida vai retornando a normalidade.


Em Marruá, comunidade rural localizada a 70 km de Juazeiro, o Instituto Água Viva, abriu dois poços artesianos, comprou uma propriedade de 3 hec e hoje cerca de 20 famílias cultivam a terra. De lá tiram o sustento e ainda conseguem vender parte da produção.


Este ano a produção está farta e nesse trimestre a expectativa é colher 7 toneladas de batata doce e mais 1,5 toneladas de cebola. Também foram plantados 16 mil pés de pimentão verde e a colheita rendeu 120 caixas, totalizando 4,8 toneladas. Outro resultado positivo são os 300 pés de maracujá, além de melancia, milho, mandioca, pimenta malagueta, coentro e alface.


É um trabalho feito com a união de várias mãos. Todos os dias as pessoas envolvidas no projeto de Geração de Renda, cuidam da plantação no horário das 6h da manhã, quando o sol ainda é fraco, e às 17h quando o sol se põe. A água é bem aproveitada, abrindo as torneiras apenas para encher os tonéis.


Água é vida e esperança. A comunidade está sendo revitalizada com esse belíssimo projeto de transformação social, impactando muitas vidas no sertão.


‘Dá gosto de ver a felicidade dos moradores, eles estão como quem sonha se renovaram com a chegada da água, a maioria nunca teve água em casa, tão simples para nós, e era tão distante para eles’. Relata Eberton Salmora Silva, coordenador do programa.


Outra boa notícia é que o município de Casa Nova vem sendo referência na região com o projeto de alface hidropônico que está em plena atividade e chega produzir mais de 1000 pés por semana.


Em Junco, localizado a 6 km de distante, o projeto de implantação de uma adutora está levando água para 120 famílias, a maioria já está plantado a sua hortinha depois de 05 anos de seca severa na região.