Sertão Unidos: Instituto Água Viva oferece capacitação para educadores sociais


A cidade de Juazeiro, na Bahia, foi a sede do Sertão Unidos, um importante evento realizado pelo Instituto Água Viva (IAV) entre os dias 15 e 20 de agosto. O encontro reuniu 168 educadores sociais para cinco dias de capacitação, workshops e oficinas e contou com apoio do Governo Federal, por meio do Ministério do Turismo e Secretaria Especial da Cultura.

Foi um treinamento intensivo de educação e aprendizado não só para os profissionais que atuam nos projetos que o IAV mantém no Sertão da Bahia, Piauí, Pernambuco e Paraíba. Os especialistas que compartilharam seu conhecimento com os educadores também tiveram seus momentos de troca de conhecimento e afeto com os educadores sociais sertanejos.


Acolhimento

Um deles foi o médico intensivista do Hospital Sírio Libanês (SP), doutor Adenilton Rampinelli. Para ele, participar do evento foi uma experiência que ressignificou sua vida. “Para mim, o acolhimento do povo sertanejo é algo indescritível. Recebi um carinho sem tamanho, e o interesse em aprender que me surpreendeu”, relatou o médico.


Renovação

Já o músico Marcelo Cacilias conta que saiu do evento renovado e com sentimento de desafio. “Num oceano de amor, que é o projeto Água Viva, foi uma honra para mim poder contribuir com uma gota musical. Saí muito melhor do que cheguei após ver tantas pessoas dispostas a dar suas vidas em favor de outros. Desafiado, vejo melhor agora que só serve para viver quem vive para servir”, acrescentou.


Integração

A pedagoga Shoraia Ramos ministrou um seminário em sua área de atuação, destacando os temas Educação Inclusiva, Alfabetização, Avaliação Diagnóstica, Contação de Histórias, A Importância do lúdico na Educação e Planejamento de Aulas. Para ela, o encontro com educadores sociais do sertão foi além da transmissão de conhecimento teórico. “Com meu trabalho pude contribuir para a transformação do indivíduo e sua adaptação e integração com o coletivo”.


Disposição

Essa contribuição para o crescimento coletivo também foi a impressão que ficou marcada para Gabriel Gomes Espindola, que participou oferecendo treinamento de coordenadores sociais, ensinando aos docentes sobre estratégias de liderança. “Disposição gera vidas”, resume sua experiência no Sertão Unidos.


Troca

Para Júlia Santos de Moraes, que ministrou workshops de ballet, jazz e dança contemporânea, poder encontrar de perto as professoras que atuam no sertão foi bastante enriquecedor. Durante o ano, o contato entre elas é por meio de encontros on-line. “Foi uma experiência incrível e positiva, porque fizemos trocas de técnicas, de conhecimento… fortalecendo nossa relação de professora-aluna. Deixou uma marca no nosso coração”.


Transformação

Carlos Eduardo Toneto Salles, empresário no segmento de tecnologia, ministrou o workshop de Tecnologia e Inclusão Digital. A experiência de participar do Sertão Unidos foi realmente transformadora. “Existe um Brasil no Sertão, bem diferente do que conhecemos nas grandes cidades com fácil acesso a muitas coisas, que é um berço de grandes talentos, porque simplesmente viver lá, já é um grande diferencial de vida. Aprendemos a dar mais valor a tudo, inclusive as coisas mais simples como abrir uma torneira para lavar as mãos”.